domingo, 1 de julho de 2012

Apocalipse Nerd.

São 2h52 da madrugada. Estou no meu quarto, no térreo de um apartamento, mexendo no computador. Lá fora, o mundo parece está acabando. Mas mantenho minha calma. Ouço gritos vindo lá de fora. Explosões. Tudo isso do nada. Antes era o mais completo silêncio. E, para completar, gritos ensurdecedores que parecem de bestas feras. Mas, para mim, parece que tudo não passa de abstração. Parece que tudo está saindo da caixa de som do computador. Algo bateu na janela do meu quarto. Ouço uma voz desesperada pedindo para abri-la; mas não quero. Estou feliz na minha internet, sentado. Vejo até a janela sacudir sem sucesso, ela não abre. Me levanto dessa cadeira desconfortável, alongo a coluna e ponho o ouvido encostado na janela. Um voz fraquinha tenta gritar "abre!". Não. Meu mundo está em paz. E dane-se se o mundo lá fora está explodindo! Acho que a pessoa foi embora. Um barulho ensurdecedor parece cortar os céus. Seria um avião caindo? Mais pessoas gritam. Gritos? Muitos gritos. Parece show do Iron Maiden, aquela plateia fazendo um coral. Gritos! Não é um coral, são gritos de medo. Alguém passa correndo do lado do meu quarto gritando "Corre, não olha pra trás! Corre!". Ouço passos de gente apressada. Muita gente. Sinto um leve tremor no chão. O tremor está aumentando. Ouço um barulho de água. Será que esqueci a torneira aberta? O barulho de água vai ficando mais forte. Chuveiro? Ouço um barulho de correnteza bem do lado de fora da minha janela. A água começa a invadir meu apartamento pela porta da frente. Não sabia que a praia podia chegar até aqui. Ou isso ou foi um mini tsunami, porque a água não passa de vinte centímentros do chão. Tudo bem, a tomada do meu computador é mais alta do que isso. E aqui dentro do quarto não posso ser levado pela correnteza. Ouço pessoas gritando e caindo na água forte lá fora. Ouço outro barulho enorme rasgando o céu. Outro avião? Sei lá. A água chega até a ser agradável nos meus pés, mas subo as pernas para a cadeira, com medo de um choque. Sempre calmo e indiferente. Agora me assustei. Que barulho é esse? De repente, todo mundo se calou. Só ouço o que parece ser algo muito grande cruzar os céus. Caiu. Meu computador balançou e minha internet desconectou. Outro avião? A lâmpada do meu quarto começa a falhar. O chão treme mais forte. Pessoas gritam o nome de Deus lá fora. Pessoas gritam chorando o nome de Deus. Pés apressados na água, muitos. Minha janela fechada não me permite ver seus rostos. Devem estar tristes, no mínimo. Ouço mais água vindo. É um barulho de chuva que parece aumentar a cada milésimo. Outra correnteza? Ouço a água bater contra meu apartamento. O prédio treme. Minha janela abriu. A água passou a altura da tomada. Sistema desligado.



Rívison  17/04/2011

Nenhum comentário: