quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Cruz das Almas

Eu carrego a cruz desse amor, mas não é pesada
É algo bom de se carregar, me enche de harmonia
Piso na areia com ela, no meio da noite calada
Aquele sorriso tão sincero era tudo que eu queria.
O seu jeito me faz viajar sem tirar os pés do chão
Mas se meu coração não amasse, de nada valeria
E esse sentimento grita mais forte do que qualquer furacão
O toque das mãos dela me devolve a alegria.
Mas eu deixei minha alma longe, onde a maresia não chega
Eu deixei minha vida nas mãos de uma garota linda
Fico tão confuso com seus passos, ela é quase bailarina
Dança nas batidas do meu peito, ela é a minha guia
Me guiando pelo desejo que tanto eu desejava
Pegando nas minhas mãos de medo, medo que eu sentia
Medo porque nada acontecia, até ela aparecer
Minhas tintas pintavam uma aquarela triste, agora pintam magia.
Um pôr do sol ao seu lado, meu bem, não é o bastante
O bastante é viajar ao seu lado e do tempo ser vigia
Vigiar para ele não passar depressa e não me deixar atordoado
É tão bom estar abraçado com você no meio da ventania.
Encontrei nela um tesouro enterrado que há tempos procurava
Logo eu, que nunca entrei no mar pra fazer pirataria
Cavei nas profundezas daqueles olhos e enterrei meus segredos
Acabei achando uma emoção eterna, muito maior do que o ouro valeria.
Mas se um dia eu for embora, e ela ficar por lá?
Nas areias da Cruz das Almas, será que ela me veria?
Olhando para o horizonte do mar, contemplando o azul do céu
Tentando me achar numa manhã de sol, beirando o meio-dia.
Eu só lhe digo uma coisa, amor, não precisa me procurar
Pois só se procura o que não se tem ou o que se roubaria
Você não me furtou, você me tem legalmente como previsto na lei
Pois o bem mais precioso que eu tenho é a sua companhia.
Eu te levo no meu peito, na minha cabeça, no meu corpo
Eu te levo nos meus olhos e onde você não caberia
Você me ocupa do começo ao fim, se debruça no meu "eu" todo
O seu beijo e o seu abraço revigoram minha energia.
Nem que eu quisesse, eu não posso te deixar
Pois encontrei em você a felicidade que não é fantasia
E se a vida teimar em nos dar caminhos opostos
Eu junto nós dois pelo que sinto, passando por cima da geografia.



Rívison    28/11/2010

Um comentário:

Tita disse...

Toda vez quando eu leio esse poema... os meus olhos brilham ainda mais... rs... é o poema mais lindo do mundo... rs
Te amo! ;)