domingo, 17 de outubro de 2010

Sobre o hipócrita religioso

Cristão de classe média alta com seu carro popular
Para justificar seus atos, você põe a mão na bíblia
"O poder de Deus habita em mim", você diz sem cansar
Xenofobia, machismo, homofobia, tudo ali se justifica.
Com sua roupa "da moda", você vai a algum barzinho
Para ter mais uma conversa vazia com seus amigos e amigas
Já na segunda cerveja, meio bêbado, profere um "se Deus quiser"
É tão hipócrita, que diz amar a todos, mas é individualista.
Só olha para si, e diz que Deus vai lhe dar o melhor emprego
É tão profano, que usa do romantismo chulo só pra fazer sexo
Tenta conquistar alguma acéfala que pensa igual a ele
Dizendo algo como: "O Senhor me fez ver os seus olhos tão belos".
Vai para a praia no fim de semana, ouvir as músicas que a mídia impõe
Quem tem um gosto diferente dele, está fadado ao inferno
Polui o mar com lata de cerveja, churrasco e palito de picolé
Mas tudo bem, ele está salvo e vai pro céu, pelo sacrifício de Cristo.
Ainda coloca suas "idéias" na política, fazendo do país um "paraíso"
É pra dar risada quando se diz comunista cristão ou pastor capitalista
Tão pautado nas crenças, e ignora, no sinal de trânsito, os meninos
Meninos que não são de classe média, não têm dinheiro, não têm vida.
Mas tudo bem,cristão de classe média alta, acéfalo e oportunista
Semana que vem vai ter mais um bacanal no seu show de forró preferido
Olhando assim, parece que não saímos dos costumes dos antigos romanos
Fé justifica a violência, e as sacanagens são todas escondidas.


Rívison - 2010

Obs.: Caro leitor, não costumo explicar meus textos, mas creio que este mereça uma explicação por tratar de um tema tão delicado como é a religião cristã. Perceba que não falo contra o cristianismo em nenhum momento e muito menos contra quem segue o cristianismo, ou seja, os cristãos. Falo contra quem se utiliza da fé cristã para cometer atos idiotas e violentos. Contra os hipócritas religiosos (como já diz o título). Para mim, pessoas deste tipo merecem, sim, as maiores críticas, para se conscientizarem de que a religião cristã não é sinônimo de retardamento mental. Já eu, parafraseio Zeca Baleiro, quando ele canta: "eu não sou cristão, eu não sou ateu".  Sinta-se à vontade para dar sua opinião, mas baseada nesta observação que reflete o que é este texto / poesia. Atenciosamente,

Rívison.

Um comentário:

BoLaS disse...

Gostei. Nem precisava explicar.