terça-feira, 14 de setembro de 2010

Quem?

Quem foi que me deixou do seu lado?
Quem foi que me deixou fora dessa?
Quem apagou a luz do meu quarto?
Quem me deu um beijo na testa?
Ninguém descobriu nos meus lábios,
O maior tesouro da Terra,
Talvez isso se deva ao fato,
De que gostar de mim é gostar de uma guerra...

Por que tudo é motivo de festa?
Por que tudo é motivo de festa?
Por que tudo é...?

Quem foi que me deixou insensível?
Quem foi que me deixou insensato?
Quem foi que me deixou invisível?
Ninguém olha quando eu passo de lado...
Quem atrofiou o meu cérebro?
E transformou meus músculos em peças?
O ser humano ficou tão sério...
Deixando o mundo de lado, só ele mesmo o interessa;

Por que tudo é motivo de festa?
Por que tudo é motivo de festa?
Por que tudo é motivo de festa?
Por que tudo é...?

Quem foi que me deixou acordado?
Quem é a pessoa que tem tanta pressa,
Que grita na rua o assunto inacabado?
Quem se importa com tudo que resta?
Somos árvores sem folhas nem troncos
Apenas raízes com marcas de machado
Não crescemos, não é porque não queremos
Não crescemos porque o solo está estragado.


Rívison - 2007

2 comentários:

¬¬ disse...

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬

João Paulo da Silva disse...

nao esqueci de vc, meu amigo. to de olho.