quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Quarta Parte (4º parte da trilogia do pós-moderno)

Para fechar uma trilogia
Não são necessárias três partes
Porque, como já dizia Derrida
"Tudo depende de uma análise"
No mundo de palavras subjetivas
Um mamífero pode ser uma ave
A derrota pode ser invicta
E a trilogia pode ter quatro partes
As palavras são apenas símbolos
Imersos numa rede textual
São letras que não fazem escândalo
Quando algo parece ir muito mal
Por isso, leia as entrelinhas
Antes de ter uma idéia prévia
Pois os que passam despercebidos
Desobedecem a uma grande regra:
"Este mundo, que foi erguido
Com gritos e urros pré-históricos,
Hoje se move com inteligência
Pois separou o pensamento e o ócio
E para os analfabetos da semiótica
Deixo minha paciência queimando (como um fósforo)".


-Rívison-

Nenhum comentário: