sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Convivência em Rede (2º parte da trilogia do pós-moderno)

Encaminha-me esse e-mail tão querido
Digitado pelos teus amados dedos
Comandados por um juízo indefinido
Que expõe, sem culpa, seus medos
Sorri de frente ao brilho da tela
E percebe que ela te liga com tudo
Observa que ela virtualiza teu desejo
E que também pode te deixar confuso
Estamos perplexos e sem personalidade
Diante de um site que resuma essa esfera
Composta por água, terra, ar e fogo
O concreto perdeu o lugar para uma aquarela
Globaliza-me nesta última tendência de prótons
Que irradia pessoas através da luz
Portal para um paraíso dos cansados do mundo
Que só querem vestir um nick e jogar esse jogo
A mesa do bar agora é um fórum on-line
A escola agora é feita por textos de EAD
O motel agora é um mentiroso chat
E o cético moderno acredita no milagre que vê
Mundo confuso esse, cheio de parafernálias
Das quais eu preciso para matar minha sede
O sol nasce para mim toda vez que aperto o power
A vida é diferente nessa convivência em rede.


]Rívison[

Nenhum comentário: