domingo, 21 de março de 2010

Ensejo




Condenado a viver nessa geleira
Vi uma foto de Baudelaire, ele não estava feliz
Derrete, geleira, derrete!
Quem pensa ou sente muito sempre é feliz por um triz
O sorriso de dentes podres cativou a moça rica
O coração era nobre e a estrada era perdida
Afinaram um violão, tocaram a música da morte
Mas a moça não quer saber mais, se é morte ou vida
Tanto faz.
Condenado a não dividir a geladeira
Vi uma foto do Poe, ele não estava sério
Desliga, geladeira, desliga!
Quem corre ou anda muito sempre volta para o ponto de partida
Tocaram a campanhia, talvez seja a sorte
Mas a moça não quer saber mais, se é sorte ou acaso
Tanto faz.
E tanto fez que hoje pensa e sente muito e é totalmente feliz
Corre a vida inteira e encontra novos caminhos
Ela arriscou quando todos disseram-lhe que não
O sorriso de dentes podres se transformou em um diamante de carinhos.


(Rívison)

Nenhum comentário: