domingo, 21 de março de 2010

Ensejo




Condenado a viver nessa geleira
Vi uma foto de Baudelaire, ele não estava feliz
Derrete, geleira, derrete!
Quem pensa ou sente muito sempre é feliz por um triz
O sorriso de dentes podres cativou a moça rica
O coração era nobre e a estrada era perdida
Afinaram um violão, tocaram a música da morte
Mas a moça não quer saber mais, se é morte ou vida
Tanto faz.
Condenado a não dividir a geladeira
Vi uma foto do Poe, ele não estava sério
Desliga, geladeira, desliga!
Quem corre ou anda muito sempre volta para o ponto de partida
Tocaram a campanhia, talvez seja a sorte
Mas a moça não quer saber mais, se é sorte ou acaso
Tanto faz.
E tanto fez que hoje pensa e sente muito e é totalmente feliz
Corre a vida inteira e encontra novos caminhos
Ela arriscou quando todos disseram-lhe que não
O sorriso de dentes podres se transformou em um diamante de carinhos.


(Rívison)

terça-feira, 2 de março de 2010

Cibele

 





Creio que alguma estrela brilhou
Instantes depois que você se foi
Bruta beleza de olhos verdes
Estonteantes palavras de amor
Limpei minha alma com seus conselhos
Escrevi certo por linhas tortas
Por que a vida é cruel com os bons?
Ainda não sei a resposta...
Rasguei nossas cartas quando vi as flores que lhe mandaram
Ainda era noite, perto de amanhecer o dia
Segui, então, os meus próprios passos
Esqueci de tomar o remédio contra aquela alergia
Mas você me curou de tantas coisas
Patético, eu fico sem você, sem forças
Rapidamente o mundo gira e o tempo passa
Enquanto os oceanos nos dão tristeza e graça.


[Rívison]

[ Isso é uma singela homenagem a uma grande amiga. Loira, essa é pra vc. Sua falta é enorme. Devia ser proibido pessoas especiais como vc irem tão cedo. Fique em paz, onde vc estiver. Levo seu afeto e suas palavras até o fim da estrada da vida e, quem sabe, além dela.]