segunda-feira, 24 de agosto de 2009

a vida segue



Ela não quer você
A lava destruiu a cidade
O avião atrasou
O mendigo morre de fome
A vida segue.
A empresa faliu
A igreja também
Pessoas preconceituosas
Doenças fatais
A vida segue.
Educação é o segredo
Ninguém gosta de distribuir segredos
Borboletas são atropeladas
Em um espaço aéreo onde humanos têm asas.
A vida segue.
Selvagens criticam os civilizados
Civilizados se matam
A medicina lucra com a gripe
Alguém não se esquece.
A vida segue.
Elefantes e cavalos são escravos
Pessoas já foram escravizadas
Vacas são adoradas ou comidas
Seu leite mata a sede.
A vida segue.
Ela foi para longe
Cruzou um globo cheio de armadilhas
Meu coração caiu na armadilha de gostar
Olhos azuis como a Terra vista de cima
A vida segue.
Metralhadoras substituem palavras
A força substitui o pensamento
A população agora está domada
Democracia, o que é isso?
A vida segue.
Amor, o que é isso?
A vida segue.
O homem-bomba explodiu
A vida segue.
O presidente bomba manda explodir
A vida segue.
Amor, onde você está?
A vida segue.


Rívison 03/02/2007

4 comentários:

Isolda Herculano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isolda Herculano disse...

Cara nova, hein?! Mudar é sempre bom – ou não. No seu caso, foi. (Risos)

p.s: essa igreja que faliu aí na sua letra, certamente, não era uma IURD... ou era?! (Risos)

Abraço.
Isolda.

Estêvão dos Anjos disse...

depois sou eu o deprê...
lembrou um pouco ONDE ANDARÁ O MEU AMOR, so que por uma ótica mais pessimista. mas no fim tem uma sacada legal, as coisas mudam mas o q vc sente n. pessoa apaixonada da poxa

Ludmila disse...

Você fez algo que eu admiro muito, à la Manuel Bandeira: extraiu a poesia do cotidiano. E olha que o cotidiano não é tão poético assim... A não ser quando a gente mescla as próprias emoções com esse mundo cor-de-cinza. Aí fica cinza e vermelho-sangue... :)