domingo, 12 de abril de 2009

Eu Acredito



Eu tenho o cheiro de rosas nas mãos
E um olhar tristonho pro chão
Eu tenho um coração que quase pára
Minha vida nesse silêncio torna-se rara

Eu sinto calor, mas não procuro ar fresco
Apenas me refresco com possibilidades
Minha vida, sem rumo, dá até medo
Queria que alguém aparecesse e me mostrasse a verdade

O violão na capa é mudo e preto
E tem uma corda partida, há um ano
Símbolo da minha adolescência incerta
Hoje, ele descansa ouvindo a música dos anjos

E eu ainda tenho o cheiro de rosas nas mãos
Porque ainda acredito no amor mesmo sem demonstrar
Meu sorriso falso é um disfarce pra dor
Que esse vazio causa e por muito tempo causará.

Mas eu ainda acredito no amor
E que alguém se mudará para mim
Mas não é preciso mudar
Só é preciso que essa verdade não tenha fim.

13/11/2008 Rívison Batista

Nenhum comentário: